Beijoquices ®

27/12/2010 at 11:25 AM 2 comentários

Quando sinto saudade, nunca consigo mandar um beijo só. Se faço boca de beijo, dou um beijo. E esse beijo se transforma em dois, depois em três, em cinco, em oito, em treze, vinte e um, trinta e quatro… Até agora, de vez em quando, escapa mais um milhão de beijos. Minutos atrás, senti essa saudade beijoqueira. Abri a janela para enviar alguns, mas, como estava chovendo, metade deles caiu lá no meio da avenida. Quando eu olho para baixo, ainda enxergo um monte de gente, de repente, dando um pulo de alegria, sorrindo para os outros, cedendo a vez para entrar nos ônibus. Até o meio da tarde, essa montanha de beijos terá se transformado em outro tanto, que vai se transformar em mais e que vai crescer até chegar na sua janela feito temporal de saudade. E enquanto você fecha vidros e cortinas com as mãos apressadas, uma gotinha faceira vai voar na sua face, escorregar devagar até bem perto da boca e entregar esses beijos que eu mandei com tanta vontade.

(texto republicado)

Anúncios

Entry filed under: Perplexidades.

Variação do mesmo tema Dos ciganos e outras ausências ®

2 Comentários Add your own

  • 1. rafaela  |  27/12/2010 às 2:09 PM

    orishmana laim

    essa é uma língua que acabei de criar para dizer o que já sabe…

    LINDA!

    Resposta
    • 2. Marjorie Bier  |  27/12/2010 às 3:34 PM

      Adoro esses dialetos…

      Amo!

      Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Sigam-me os bons!


%d blogueiros gostam disto: