A menor mulher do mundo

21/12/2010 at 1:51 AM 4 comentários

Foi, pois, assim que o explorador descobriu, toda em pé e a seus pés, a coisa humana menor que existe. Seu coração bateu porque esmeralda nenhuma é tão rara. Nem os ensinamentos dos sábios da Índia são tão raros. Nem o homem mais rico do mundo já pôs olhos sobre tanta estranha graça. Ali estava uma mulher que a gulodice do mais fino sonho jamais pudera imaginar. Foi então que o explorador disse, timidamente e com uma delicadeza de sentimentos de que sua esposa jamais o julgaria:

— Você é Pequena Flor.

(trecho de “A menor mulher do mundo” de Clarice Lispector,
o preferido de L. F. Verissimo. Roubei da Renata Carneiro)

Entry filed under: Perplexidades. Tags: .

Ai, se sêsse… Sobre dezembro

4 Comentários Add your own

  • 1. renata carneiro  |  21/12/2010 às 11:34 AM

    lindeza da minha vida!

    Responder
    • 2. Marjorie Bier  |  21/12/2010 às 12:13 PM

      Fui espiar uma foto,ontem,enão parei mais de olhar. Coisa linda,viu!?

      beijo

      Responder
  • 3. renata carneiro  |  21/12/2010 às 1:22 PM

    linda é você!

    Responder
    • 4. Marjorie Bier  |  21/12/2010 às 3:02 PM

      Muah!

      Responder

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Sigam-me os bons!


%d blogueiros gostam disto: