Até quando eu não vejo…

09/11/2010 at 5:21 PM 6 comentários

Quero que você nunca perca de vista a música da sua existência, e que me prometa ter entendido que a felicidade não é um destino, mas a viagem. E que, por isso, teremos sido felizes pelos vários domingos na cama e pelos sonhos que compartilhamos enquanto olhávamos a lua. Que você acredite que não me deve nada simplesmente porque os amores mais puros não entendem dívida, nem mágoa, nem arrependimento. Então, que não se arrependa. Da gente. Do que fomos. De tudo o que vivemos. Que você me guarde na memória, mais do que nas fotos. Que termine com a sensação de ter me degustado por completo, mas como quem sai da mesa antes da sobremesa: com a impressão que poderia ter se fartado um pouco mais. E que, até o último dia da sua vida, você espalhe delicadamente a nossa história, para poucos ouvintes, como se ela tivesse sido a mais bela história de amor da sua vida. E que uma parte de você acredite que ela foi, de fato, a mais bela história de amor da sua vida. Que você nunca mais deixe de pensar em mim quando for a Londres, escutar Dream’ Bout Me ou ler Nick Hornby. E, por fim, que você continue a dançar na sala. Para sempre. Mesmo quando eu não estiver mais olhando.

Milly Lacombe

Entry filed under: Gente é pra brilhar!. Tags: .

Quem garante? Para uma tarde chuvosa

6 Comentários Add your own

  • 1. ℓυηα  |  09/11/2010 às 5:50 PM

    Ah, a sensação de continuar sem continuar, aquela coisa que foge de tudo que possa limitar. Isso sim dá asas!

    Lembrei de uma carta muito antiga que meu pai escreveu para a minha mãe (e que ela guarda com todo o carinho em uma caixa bonita, mas que caiu nas minhas mãos quando eu a ajudava a pegar umas coisas da prateleira mais alta do roupeiro) que diz assim no final : “Quero envelhecer ao teu lado mas nunca vou te sentir envelhecer.”

    Me apaixonei um pouco mais por ele (s) nesse dia.

    =)

    Muaaahhhh! ♥

    ℓυηα

    Responder
    • 2. Marjorie Bier  |  09/11/2010 às 6:01 PM

      Esses amores me comovem tanto… é exatamente o que quero pra mim (e acho que encontrei!).

      beijo

      Responder
  • 3. rafaela  |  09/11/2010 às 7:23 PM

    tão lindo… que eu nem sei o que dizer.

    [lagriminha mode on]

    Responder
    • 4. Marjorie Bier  |  10/11/2010 às 1:12 PM

      O texto todo nem é tão bonito, Rafita, esse trecho é que é mais fofinho.

      Beijo, sua linda.

      Responder
  • 5. Duduardoo  |  10/11/2010 às 12:07 PM

    Owwwn Mar!

    Q coisa linda!

    Nem sobra muito pra comentar.

    Resta dizer que tocou fundo e fez viajar naquele mundo de sensações que o “Céu da Boca” sempre convida.

    Beijo grande.

    Saudade maior

    Responder
    • 6. Marjorie Bier  |  10/11/2010 às 1:13 PM

      saudade de ti também, seu lasanhudo (achei isso horrendo!).

      =)))

      Love!

      Responder

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Sigam-me os bons!


%d blogueiros gostam disto: