Serve o chapéu? ®

21/07/2010 at 1:10 PM 24 comentários

Uma colunista, de um dos jornais de Santo Ângelo, escreveu dia desses sobre o uso dos chapéus. Ela falava um pouco sobre o acessório e o estranhamento causado cada vez que ela o utilizava. Não conhecia seu texto. Foi meu namorado quem descobriu a preciosidade e tratou de me fazer ler.

Confesso que fiquei um pouco chocada. Talvez nem seja essa a palavra, já que ri um bocado pela percepção nonsense ou, melhor dizendo, pela insegurança camuflada em linhas tão bem escritas.

Deixem-me explicar. Também, como ela, sou apaixonada pelo adereço. Da mesma forma, coleciono modelos super-hiper-ultra-mega femininos o que, num rápido pensar, não causaria estranhamento algum. Não a mim. Nunca vi.

Para ela, basta usar algum de seus chapéus para que os olhos voltem-se todos na mesma direção. Fico pensando que se você sai de casa já de olho nas outras pessoas é porque, na verdade, você está querendo mesmo ser visto. E isso implica em aprovação, o que me leva a crer que o elemento acima da sua cabeça é apenas uma forma de mostrar o quanto você é diferente (e será que é mesmo?) e que isso nada tem a ver com estilo.

Chapéu é um acessório como outro qualquer. Requer um pouco de atitude e certa dose de bom senso. Não faz as vezes da tal melancia no pescoço, como ela mencionou. Pelo contrário, torna qualquer figurino mais charmosinho e não substitui carros alegóricos pelas estreitas calçadas da cidade. Quer usar sua calça amarelo-neon no melhor estilo Restart e tem cacife pra isso? Do it. Não é minha praia, mas se faz você feliz, relaxa e flui.

Não importa se saído de um musical da Disney ou do brechó do seu trisavô, chapéu é lindo, mas não é lei. Usa quem quer, arrasa quem pode. Como tudo nessa vida, no final das contas. Não faça dele uma desculpa esfarrapada para voltar a ser uma cópia entre tantos iguais.

Tudo é ousado para quem nada se atreve, chuchus. Fica a dica que o enchapelado Fernando Pessoa já deu.

Entry filed under: Perplexidades. Tags: .

Passa a diante ® Palavras que eu gosto I ®

24 Comentários Add your own

  • 1. Clara Morais  |  21/07/2010 às 1:42 PM

    Conheci você de chapéu e não imagino sem. Como você mesmo diz, atitude é tudo.
    😉

    Responder
    • 2. Marjorie Bier  |  21/07/2010 às 2:04 PM

      =))))

      Sei lá se é só atitude… eu não tenho o menor estilo pra polainas, por exemplo. Esse figurino a la Flash Dance não rima comigo MESMO!

      Beijo

      Responder
  • 3. Marininha  |  21/07/2010 às 1:57 PM

    hahahahaha

    Mas q balaca!!!

    Margolis Maria é estileira no topete!

    Responder
    • 4. Marjorie Bier  |  21/07/2010 às 2:05 PM

      Eu me divirto MUITO com esses comentário!!!

      hahahahahahahahaha

      Figurinha que eu adoro!

      Muah!

      Responder
  • 5. Clau  |  21/07/2010 às 2:42 PM

    Estilo e chapéu tu tem de sobra.

    Atitude tb.

    E ela empresta os aderços!

    ahuahuaahuahuahauahauhau

    Responder
    • 6. Marjorie Bier  |  21/07/2010 às 3:46 PM

      =)))

      Emprestar, eu empresto… o resto é contigo!

      beijo

      Responder
  • 7. Mara  |  21/07/2010 às 3:21 PM

    “Usa quem quer, arrasa quem pode.”

    Você pode!! Até a calça amarelo neon!!
    Como sempre, arrasando…

    Em tempo, também adoro chapéus mas minha praia mesmo são os óculos de sol!!

    Bjuuss com muito love!!

    Responder
    • 8. Marjorie Bier  |  21/07/2010 às 5:03 PM

      Florinha, minha encrenca não é com o modelito, mas com esses olhares engessados. Não desce.

      Beijo. Luv.

      Responder
  • 9. Ricardo Novais  |  21/07/2010 às 3:27 PM

    Machado de Assis, de sua ‘casa de bruxo’ no Cosme Velho, certa vez, constatou: “Que curioso! Certos chapéus que os homens usam são para atribuir-lhes fumos de fidalgos. Ora! Mas este é outro tempo?”. Do que penso daí a boa frase de moda dos séculos XIX e XX: “Cada um usa o chapéu que melhor lhe convier à cabeça”.

    Beijo, querida.

    Responder
    • 10. Marjorie Bier  |  21/07/2010 às 5:05 PM

      Grande Machado de Assis… mas cada um com sua aba, né?!

      beijo, beijo

      Responder
  • 11. Duduardoo  |  21/07/2010 às 3:35 PM

    Estou contigo e não abro.

    Muita gente vive em função da opinião alheia, cheia de Ter e vazia em SER.

    Logo, o que os outros acham, pensam e acreditam é mais importante do que “eu sou” pra “eu mesmo”.

    (acho q mais enrolei do q expliquei… rsrsrsrss)

    Mas era isso.

    Bjo!

    Responder
    • 12. Marjorie Bier  |  21/07/2010 às 5:17 PM

      =)))

      Já pensou se a gente saísse de casa e, antes de dobrar a esquina, alguém carimbasse a gente com um CERTO ou ERRRADO bem ao estilo última página de Caras???

      hahahahahahahaha

      Ninguém merece!

      Responder
  • 13. Régis Antônio Coimbra  |  21/07/2010 às 5:04 PM

    Não uso chapéus (na idade adulta, só usei chapéus obrigado, no exército…). Mas corto meu próprio cabelo, razão pela qual o uso geralmente ou comprido, ou raspado ou quase – pois o meio termo é mais difícil de acertar para quem corta o próprio cabelo.

    Meu visual que achei mais bonito ou algo assim foi com o cabelo meticulosamente raspado, todos os dias. Acho que caprichava mais na raspagem do cabelo que na da barba e bigode. Na ocasião eu “cantava” uma rapariga que veio a ser minha namorada por uns poucos meses e que, curiosamente, dizia ter nojo de minha careca – mas deixou que eu me fosse descaradamente aproximando mesmo assim…

    Mas dava muito trabalho raspar o cabelo e acabei optando por o deixar apenas bem curto. Quando o usava comprido também era uma trabalheira, ainda mais que o lavava, engomava e dobrava (literalmente) todos os dias.

    Também adoro usar barba e só não o faço usualmente porque dá muito trabalho e há uma fase ali pelas duas semanas em que o fio parece dar a volta e pinicar a própria pele. Difícil suportar esse limite. Depois passa, mas a desvantagem de usar barba é que quase não se sente o próprio rosto.

    Chapéus, luvas, capas de chuva, sobretudo… não uso nada disso. Uso, aliás, o mesmo casaco no verão e no inverno. Sim: passo bastante calor no verão e bastante frio no inverno.

    Certamente gosto de chamar a atenção e parece que aprendi a fazer isso mesmo “não fazendo nada”. Já pensei em comprar chapéus mas achei muito complicado comprar… imagina usar.

    Responder
    • 14. Marjorie Bier  |  21/07/2010 às 5:13 PM

      =))))

      Acho que todo mundo gosta de chamar a atenção, né?!

      Mas, do jeito como foi descrito, pensei em algo como: “Veja, estou diferente hoje. Diga que estou linda ou vou chamar minha mãe e chorar!”.

      Não, obrigada.

      =*

      (te prefiro sem barba)

      Responder
      • 15. Régis Antônio Coimbra  |  21/07/2010 às 6:25 PM

        Prometo não usar, hehe… Talvez só para tirar foto no 20 de Setembro…

      • 16. Marjorie Bier  |  21/07/2010 às 6:27 PM

        Sim… mais ou menos a mesma época do ano passado… =)))

  • 17. ℓυηα  |  21/07/2010 às 5:27 PM

    Acho bonito, também, e não é comum ver as pessoas usando. Não combina com meu estilo, fico mesmo na boininha, que faz par bonitinho com a minha franja…rs

    Beijo, amora, e um chazinho com canela, pra aquecer.

    ℓυηα

    Responder
    • 18. Marjorie Bier  |  21/07/2010 às 6:14 PM

      Um chazinho… gosto muito!!!

      Beijo, Luna. Você é uma lindeza que só vendo!

      Responder
  • 19. rafaela  |  21/07/2010 às 8:37 PM

    hahahaha
    adoreeei a premissa: Usa quem quer, arrasa quem pode.

    o papo da moça do texto parece bem “omundoédosnets” mesmo! cada um com sua tribo, ora! é olhar reto e seguir em frente! – com ou sem chapéu, né?

    ai, dão-me gastura essas pessoas…

    =***

    Responder
    • 20. Marjorie Bier  |  21/07/2010 às 8:43 PM

      Ai, florinha… a mim também.

      ETA!

      beijo-pulo.

      Responder
  • 21. Roberto  |  21/07/2010 às 11:27 PM

    Pois é minha querida, vou falar aquilo que tanto tu como eu já sabemos e concordamos durante a cervejada:
    Santo Ângelo está infestada de pessoas querendo aparecer. Pode faltar feijão no prato, mas a pose, jamais.
    Falo com a propriedade de ter vivido aí e constatado, melhor, afirmado depois que deixei estas colinas, que o povo (não a maioria), quer mesmo é aparecer.
    Se a festa não for no Gaúcho, nem pensar, rsrsrs
    Me xinguem, mas é isso mesmo.
    É, vai vendo kkkkkkkkkkk
    bjos

    Responder
    • 22. Marjorie Bier  |  22/07/2010 às 3:44 AM

      Iiiiixxxiii, bem sei… muito falamos!

      beijinhos

      Responder
  • 23. Talita Prates  |  22/07/2010 às 1:27 PM

    falou e disse, amorinha.
    o aforismo do enchapelado poeta no final é chave-de-ouro!

    arrasa quem pode
    : você, por exemplo.

    ; )

    bjos,

    Tá.

    Responder
    • 24. Marjorie Bier  |  22/07/2010 às 1:44 PM

      Linda… estava com saudade de ti!!!

      =****

      Responder

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Sigam-me os bons!


%d blogueiros gostam disto: