Bienvenue ®

19/03/2010 at 1:26 PM 22 comentários

Surpresas. Eu adoro surpresas, desde que esteja preparado para elas. Nada disso. Alguém me disse que outro alguém já disse isso. Eu, particularmente, adoro. Adoro nada. Amo o que amo, seja de surpresa ou já previsto. O meu amor. Onde está o meu amor? Ou, também, onde eu estou no meu amor? Talvez, a pergunta seja ainda outra, pois sou eu que sou do amor e não o contrário.

Tão bom quando a gente vê aparecendo umas estranhas conexões entre as coisas. Às vezes acontecem uns tilts – você os conhece? – mas quase sempre basta respirar, no máximo, dormir. Sabe aquele livro do Nelson Rodrigues? Dona Flávia e Carmelita não dormiam para que não houvesse perigo de algum prazer. Eu, quando encosto a cabeça no travesseiro, fico repetindo aquelas coisas de apaixonado, depois outra e outra e outra. Sou pecador convicto só para te ver sorrir.

Toda manhã, quando acordo, algo diferente que eu nunca contei. Talvez porque sejam coisas novas, recém sentidas e, sem sentido, têm me feito muito feliz. De novo, como sempre, é uma felicidade original, daquelas que nascem de repente e são só suas em mim. Quase sempre transborda. E eu dou boas vindas para que volte e cresça e fique aconchegada por ali.

Eu sabia que encontrar você seria muito bom, mas não tinha imaginado o quanto. Há outras coisas boas, totalmente ligadas a nós, arando incessantemente o meu peito. Não esqueci de regar as plantas. Estão viçosas e alegram essa parte do meu trabalho que continua intragável. Mesmo assim, tem passado rápido. Estou limitando meu envolvimento porque estou cozinhando algumas mudanças.

Já não falta nenhum ingrediente. Seja bem vinda hoje também.

*

A partir de amanhã, vou postar, nos finais de semana e feriados, trechos de livros que andam ocupando alguns espaços na minha cabeça.

Não deixe de aparecer para um passeio.

Entry filed under: Perplexidades. Tags: .

Amor é isso ® Caio Fernando Abreu

22 Comentários Add your own

  • 1. Rafael Dreweck  |  19/03/2010 às 2:37 PM

    Putz!!!

    Bem vinda hoje, Mar.

    Responder
    • 2. Marjorie Bier  |  19/03/2010 às 2:51 PM

      Ah, entendeu, né?!

      Às vezes, o arrebatamento é tanto que só um OI não basta. A vontade que fica tamborilando na boca é a de dizer: QUE BOM, VOCÊ VEIO DE NOVO E ESTÁ AQUI E EU ESTOU FELIZ. BEM VINDO HOJE TAMBÉM E BEM VINDO SEMPRE QUE APARECER.

      Ai, ai… um dia ainda vou dizer isso para alguém.

      =***

      Responder
  • 3. Luana  |  19/03/2010 às 2:57 PM

    Menina, li Dorotéia faz tanto tempo. Fiquei com vontade de ler de novo. Nem sei onde está. Deve estar perdido entre tanta tralha de trabalho.

    Bem vinda!

    Responder
    • 4. Marjorie Bier  |  19/03/2010 às 4:10 PM

      É um dos meus favoritos do Nelson Rodrigues…

      Beijos

      Responder
  • 5. Marininha  |  19/03/2010 às 3:02 PM

    “Um pouco de Marjorie
    antes do almoço
    é muito bom
    pra fikar pensando melhor”

    hauahuahuahuahuahuahua

    Vou comeire do Dado Griiiillll… que tu adooora! lalalala

    Responder
    • 6. Marjorie Bier  |  19/03/2010 às 4:12 PM

      Vai te exibindo, Marina…

      Comi um delicioso camarão na moranga. mmmmm…

      Besos

      Responder
  • 7. Miss  |  19/03/2010 às 3:56 PM

    Sinto-me bem vinda sempre, assim como és extremamente bem vinda por lá. Delícia isso aqui.

    Beijão, flor.

    E que a correria nos permita ter um tempo pra viver…
    😉

    Responder
    • 8. Marjorie Bier  |  19/03/2010 às 4:12 PM

      Saravá, Chronos!!!

      Você é muito mais que bem vinda por aqui!

      Beijo sempre

      Responder
  • 9. Clau  |  19/03/2010 às 5:43 PM

    Toh ficando romântica por tabela. OOOO meleca apaixonada q anda esse bróguis! hahahahaha

    Ai que saLLLLdade

    Responder
    • 10. Marjorie Bier  |  19/03/2010 às 6:29 PM

      Gelequinha… hahahahahah… eu adoraaaava!!!

      Saudade na mesma medida.

      Amo muito.

      Responder
  • 11. Enrico  |  19/03/2010 às 6:02 PM

    ACHEI A BIBLIOTECA!!! ACHEI, MARJORIE!!!

    Olhei mto pra te contar mais depois. Tuas dicas valem ouro, guria. Tem um livro escolhido a dedo, de lá, pra ti.

    beijos, beijos e mais beijos desse gajo saudoso.

    Responder
    • 12. Marjorie Bier  |  19/03/2010 às 6:30 PM

      JURA!?

      Assim vais me matar de felicidade!!!!

      Que lindo, que lindo, que lindo!!!

      =***

      Responder
  • 13. Clara Morais  |  19/03/2010 às 8:16 PM

    Essas suas palavras, em plena sexta-feira, acabam me deixando bem romântica, com uma vontade daquelas de um happy end.

    Você passeia pelos sentimentos de forma tão bonita…

    Beijo

    Responder
    • 14. Marjorie Bier  |  19/03/2010 às 9:01 PM

      Clarinha amada…

      Tão bom filme água com açúcar, né?!

      Sabe, ontem assisti A Lot Like Love pela enésima vez. É tão gostosa a maneira como fico grudada, torcendo pelo amor a todas as vistas, desde a primeira até a última, mesmo sabendo exatamente como acaba.

      No fundo, a gente sempre quer um amor de cinema. E nem falo em príncipe que eu já passei da idade, mas daquelas metades tão destemidas que até a possibilidade de mostrar-se boba soa pequena diante de tudo que se vê.

      Passeamos, românticas, de mãos dadas por aqui.

      Beijo

      Responder
  • 15. Eduardo Vieira  |  19/03/2010 às 8:25 PM

    Linda, dia corrido.

    Passo na tua casa às 8.

    (já disse que acho vc irresistível falando de amor?)

    bj

    Responder
    • 16. Marjorie Bier  |  19/03/2010 às 9:02 PM

      Já disse que fico de perna bamba quando você fala assim?

      Beijo

      Responder
  • 17. ℓυηα  |  19/03/2010 às 9:08 PM

    Oba, eu quero passear, sim!

    * Não gosto de surpresas. Ou, melhor : não gosto de saber, por antecipação, que vou receber uma, porque, assim, a ansiedade me consome!

    Beijo, beijo.

    ℓυηα

    Responder
    • 18. Marjorie Bier  |  19/03/2010 às 9:39 PM

      Querida, você aqui. Bem vinda. Você é linda.

      Beijo

      Responder
  • 19. Cynthia  |  20/03/2010 às 6:13 PM

    é muito bom, Marjorie, ser o amor em si, e não ter o amor em si. Dizer do amor, sendo-o, sem que, necessariamente, haja um outro algo como objeto desse jorro interminável (e necessário) de exercício de amar. Mas que é bom, é, compartilhar, como seu eu-lírico fez; como você sempre faz com quem por aqui vem.
    Um beijo,
    Cynthia.

    Responder
    • 20. Marjorie Bier  |  21/03/2010 às 2:56 AM

      Cy…

      Tuas palavras sempre deslizando com doçura na poesia ululante que tanto aprecio.

      Vida!

      Responder
  • 21. Edith Janete Schaefer  |  21/03/2010 às 6:29 AM

    “Quase sempre transborda” Coisa de histéricas, elas sempre transbordam…hehe
    Noooossa, demorei mas vim passear por aqui de novo…uma pausa de 5 min para respirar entre um escrito e outro e não repare os comentários… Tudo gira em torno de histeria… Minha proposta de dissertação…hehe
    beijoooooooo

    Responder
    • 22. Marjorie Bier  |  21/03/2010 às 4:15 PM

      Ah, se tudo se resolvesse com análise de texto… Horas poupadas e miséria aos terapeutas!!!

      freak histeria!!!

      Responder

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Sigam-me os bons!


%d blogueiros gostam disto: