Da leveza e do riso ®

05/02/2010 at 12:05 PM 29 comentários

Depois de você, fico assim, pertinho do céu. Feliz, claro. Hoje é sexta-feira e, embora não esteja aí e nem você aqui, eu ainda planejo mudar algumas palavras. Mas, também, não preciso mudar de repente, se é que minhas vírgulas têm essas variadas dimensões. Lembra que te contei sobre as aulas de dança? Ontem, um dos exercícios que fiz com o instrutor foi intervir no tempo/espaço do simples andar. Adiar, uma fração de segundo, o toque do pé no chão. Criar uma espécie de suspensão, como sugere o nome daquele livro que você tanto gosta. E essa suspensão, aparentemente tão vazia, revelou-se amplamente cheia de pulso e circulação. Arriscaria dizer que tem até certo carinho – muito carinho – e, ousando mais, um punhado de amor. A-mor. Que loucura! É claro que acredito no que você e no que eu sentimos e acredito mais ainda naquela pergunta que você fez primeiro e que eu nunca consegui responder: você existe?

Anúncios

Entry filed under: Perplexidades.

Status Quo ® Posições Sexuais

29 Comentários Add your own

  • 1. Marininha  |  05/02/2010 às 12:09 PM

    Que bonitiiiiinnnnhhhoooo!!!!

    Bom findi, alemoa!

    Responder
    • 2. Marjorie Bier  |  05/02/2010 às 12:20 PM

      Bom findi, Inha!

      =***

      Responder
  • 3. Clau  |  05/02/2010 às 12:16 PM

    COMOAAASSSSIIIMMMM???

    Tu tá fazendo aula de dança?

    Ooohh la la!!!

    Responder
    • 4. Marjorie Bier  |  05/02/2010 às 12:21 PM

      hahahahahahahahaha

      Mais fácil eu voltar a fazer full contact do que me prestar a dançar. Acho lindo, claro, mas não tenho muita paciência.

      Um dia eu chego lá!

      =***

      Responder
  • 5. Rafaela  |  05/02/2010 às 12:18 PM

    sabe q, às vezes, me pergunto tb se tu existe msm?!

    =***
    bom fds

    Responder
    • 6. Marjorie Bier  |  05/02/2010 às 12:22 PM

      Eu existo. E você também.

      Bom findi, amorinha!

      Responder
  • 7. Régis Antônio Coimbra  |  05/02/2010 às 12:35 PM

    Sim. Existo; insisto. E sinto deveras essa fermata, discreta, no caminho – já quase lá – do beijo. Quebra o ritmo, aumenta a tensão e, por isso mesmo, o gozo e a lembrança do momento do toque.

    Não danço, oficialmente, nada. Mas já fiz até tango com figurações. O truque é segurar firme e, quando não souber o que fazer, fazer qualquer coisa que quiser. Por incrível que pareça, convence. E convence porque é verdade.

    Valsa se dança em quiálteras. Já notaste?

    A grande questão é se assumir solista, ainda que num dueto. A graça, definitivamente, não está no uníssono ou na simultaneidade – e nem estou falando de orgasmo.

    Responder
    • 8. Marjorie Bier  |  05/02/2010 às 12:54 PM

      Quiáltera lembra-me tercinas e sextinas… belos nomes! hahahahahahahahahaha

      Eu ri com esse comentário…

      =*

      Responder
  • 9. Enrico  |  05/02/2010 às 12:58 PM

    Não dança???

    Cara de pau!!! Marjorie sempre fez a linha sexy nas pistas de dança. Hipnotizava enquanto, hipnotizada, deixava a música levar.

    na verdade, não dança. Ela destrói!

    Responder
    • 10. Marjorie Bier  |  05/02/2010 às 1:09 PM

      Pô, bicho!!!

      Propaganda enganosa é crime!!!

      Responder
  • 11. Clara Morais  |  05/02/2010 às 1:27 PM

    A-do-ro esse jeito “estou só pensando alto” de escrever. E, de verdade, acho a tua cara!

    Bom final de semana, Mar.

    Responder
    • 12. Marjorie Bier  |  05/02/2010 às 1:38 PM

      Boniteza!

      beijinho

      Responder
  • 13. Renata  |  05/02/2010 às 4:03 PM

    Ai, ai…
    Isso não é maravilhoso?

    Responder
    • 14. Marjorie Bier  |  05/02/2010 às 4:09 PM

      A-mor é maravilhoso. E mais!

      Beijo

      Responder
  • 15. Edith Janete Schaefer  |  05/02/2010 às 5:39 PM

    A suspensão pode resultar em um passo perfeito…
    ou não!
    Ando suspensa…hehe
    Vem cá, tu tem bola de cristal?
    Beijo para srta certeira!

    Responder
    • 16. Marjorie Bier  |  05/02/2010 às 5:44 PM

      Vai saber, né?!

      =)))

      beijinho

      Responder
  • 17. ℓυηα  |  05/02/2010 às 6:05 PM

    Ah, coisa boa é encher o vazio de qualquer coisa, qualquer coisa boa que exista, e que, então, passa a existir também no vazio.

    Tô romantiquinha, baby.

    Beijo, beijo.

    ℓυηα

    Responder
    • 18. Marjorie Bier  |  05/02/2010 às 6:35 PM

      Honey, também estou. Sou!

      beijo, bonita

      Responder
  • 19. Bier  |  05/02/2010 às 8:46 PM

    Esse textículo me deixou romanticão…

    Responder
    • 20. Marjorie Bier  |  05/02/2010 às 8:49 PM

      Que lin-do!!!

      Amodoro!!!!

      Responder
  • 21. felipe damo  |  05/02/2010 às 9:48 PM

    friday I’m in love!

    Responder
    • 22. Marjorie Bier  |  06/02/2010 às 5:12 AM

      You are my number one!

      =***

      Responder
  • 23. eunisia  |  06/02/2010 às 7:34 AM

    Ultimamente vc anda dançando nos textos, em respostas virtuais…romântica…quem sabe..
    E eu volitando nas tuas palavras.
    Bjs,

    Responder
    • 24. Marjorie Bier  |  06/02/2010 às 4:02 PM

      Bailemos, então!

      beijo

      Responder
  • 25. adriana  |  06/02/2010 às 10:22 PM

    Marjorie,
    impresso em passos respiras um tantra…
    e levitas soltas com a mera vontade de voar!
    afinal o amor és tu que passas!
    Abço Ghandi

    Responder
  • 26. Marjorie Bier  |  06/02/2010 às 10:51 PM

    Ui, fiquei arrepiada ao ler teu cometário.

    Que lindo.

    Beijo. Abraço. OOOMMM

    Responder
  • 27. Miss  |  07/02/2010 às 8:24 PM

    As duas únicas pessoas a quem fiz essa pergunta, são as que povoam meu coração até hoje.

    Beijos…

    Responder
    • 28. Marjorie Bier  |  07/02/2010 às 9:22 PM

      Eu nunca fiz… mas ouvi umas duas vezes até hoje. Ontem, inclusive.

      Beijo

      Responder
  • 29. Marjorie Bier  |  10/02/2010 às 1:11 PM

    Você não existe. Eu não existo. Mas estou tão poderoso na minha sede que inventei a você para matar a minha sede imensa. Você está tão forte na sua fragilidade que inventou a mim para matar a sua sede exata. Nós nos inventamos um ao outro porque éramos tudo o que precisávamos para continuar vivendo. E porque nos inventamos um ao outro, porque éramos tudo o que precisávamos, para continuar vivendo. E porque nos inventamos, eu te confiro poder sobre o meu destino e você me confere poder sobre o teu destino. Você me dá seu futuro, eu te ofereço meu passado. Então e assim, somos presente, passado e futuro. Tempo infinito num só, esse é o eterno.

    – Caio Fernando Abreu –

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Sigam-me os bons!


%d blogueiros gostam disto: