Feliz ano velho ®

10/12/2009 at 12:45 PM 30 comentários

Marjorie Bier é perfeita nas suas criações de espírito clariceano, mas de alma autenticamente marjorieana. Pelo visto, é uma daquelas mulheres que, sabemos, lê como se o livro fosse o seu amante, entenda-se, alguém que percebe o que está escrito nas entrelinhas, principalmente nas entrelinhas.

José Cabral, jornalista potiguar

.

Tive um ano bom. Agora que o relógio se apressa, chega a hora de botar o nove na balança e medir o tamanho do que ficou.

Falo de literatura. Fiz da palavra o meu ganha pão e venho exercitando e estudando para não fazer feio por aí. É um jogo de paciência. Planta-se, molha-se, poda-se, revira-se a terra e fica ali, como já mostrou Exupéry, esperando que a plantinha cresça forte e saudável. Depois colhe-se. E 2009 deu-me safra boa e de qualidade.

Tenho consciência de que o esforço não foi solitário. Tive a sorte de cair em mãos muito mais que especializadas. Pessoas generosas, conhecedoras do verbo, pacientes na lapidação dessa pedra tão cheia de lascas.

Agradeço, incansável, os olhos que me recolheram entre as linhas e me jogaram no espaço. O carinho sempre tão genuíno do Mário Simon, as palavras dulcíssimas do Dr. Oscar Pinto Jung, o elogio descompromissado de Fabiane Dornelles, as provocações kamikases de Felipe Damo, as edições urgentes de Márcio Leandro e Carine da Pieve, a prosa sonora de Claudino de Lucca, a percepção intacta de Leandro Iamin, os puxões de orelha de Claudio Reinke, o olhar boquiaberto de Tadeu Martins e, hoje, a crítica de José Cabral num importante jornal potiguar.

Teria uma lista interminável de nomes para citar: colegas blogueiros, amigos de fé, poetas reais e virtuais, e familiares. Mas meu discurso é breve e, por mais que discorra por linhas e linhas e linhas, ainda acho que os meus abraços valem mais.

Encerro o ano com prêmios, livros, revistas, jornais e convites a mais. Agarro 2010 com a consciência do trabalho redobrado e da responsabilidade sintática que a língua me traz. Sou mulher-terra para a semente literária que a vida me concedeu. Pessoa que, quando escrita no vento, se completa com a surpresa do voo.

Entry filed under: Perplexidades. Tags: .

Das pequenas coisas ® Fui pra Porto Alegre, tchau!

30 Comentários Add your own

  • 1. Luana  |  10/12/2009 às 1:18 PM

    Marjorie querida

    Fizemos, semana passada, uma avaliação do ano na escola. Ganhaste unanimidade no quesito “oficineira”. Muito mais que merecido!

    Beijo

    Responder
    • 2. marjoriebier  |  10/12/2009 às 1:55 PM

      =}

      Uma profissional apaixonada, Lu.

      Beijo

      Responder
  • 3. Marininha  |  10/12/2009 às 1:37 PM

    Neguinha… isso é pra quem pode!

    Responder
    • 4. marjoriebier  |  10/12/2009 às 1:56 PM

      (13 anos de suor!!!)

      Responder
  • 5. Clau  |  10/12/2009 às 3:01 PM

    Arrá Urru!!!

    A Marjorie é nossa!!!

    Responder
    • 6. marjoriebier  |  10/12/2009 às 3:24 PM

      “Eu sou de ninguém
      Eu sou de todo mundo
      E todo mundo é meu também”

      Beijo, baby!

      Responder
  • 7. Fael Malakyan  |  10/12/2009 às 3:06 PM

    Não poderia deixar de passar pra lhe dar os parabéns para o ano de 2009. Também lhe dizer que sempre quando posso dou uma passadinha por aqui, afinal, adoro seus texto.
    Só não gostei da parte do “Encerro o ano…” afinal temos mais uns dias e eu quero mais uns textos!!

    Beijos
    Fael

    Responder
    • 8. marjoriebier  |  10/12/2009 às 3:26 PM

      Faaaaeeellll lindo da minha vida!!!

      Que coisa boa te ver aqui!!!

      Anotado o recado, viu? rsrsrsrs…

      O ano acaba no texto, mas o calendário “bloguístico” segue ativo.

      Um beijo.

      Responder
  • 9. Enrico  |  10/12/2009 às 3:20 PM

    OOOO, minha flor!!!

    Nos conhecemos em 2002. Você já escrevia como ninguém. Era fidelíssima na espera por diretores de arte detalhistas e demorados como eu. Queria, sempre, ter certeza que a arte fecharia com o texto, que o texto completaria a arte e assim por diante. Ganhamos, juntos, prêmios incríveis como núcleo de criação. Fomos Batman e Robbin na agência que nos fez crescer.

    Do trabalho, caímos na Redenção. As longas tarde de conversa e chimarrão, as sessões de cinema onde nós dois dormíamos, as peças de teatro, os banhos de chuva, as risadas nas madrugadas frias, as fotografias non sense e a grande enorme imensa vontade de viver.

    Demorei para entender os seus silêncios. Aquele seu olhar parado sobre mim. Não foi de cara que entendi as tuas palavras, mas foi à primeira vista que aprendi a te respeitar.

    Hoje vejo a Marjorie mulher feita, madura, de cuca boa e profissional exemplar. Guardo a sete chaves os livros autografados, os bilhetes etílicos-poéticos e a saudade.

    Admiro a sede dos textos, a capacidade crítica afiada, o intelecto exercitado e a doçura que você alimenta quando nos concede um abraço.

    Sou marjorieano nessa vida. E é pra sempre.

    Responder
    • 10. marjoriebier  |  10/12/2009 às 3:31 PM

      E daí, o Enrico, que era um exímio artista gráfico, abandona a carreira publicitária e se joga na arquitetura. Virou um expert em plantas, cores, texturas e medidas. Fez um buraco numa parede da minha casa, prometeu um aquário que chegou em tamanho reduzido, pintou uma janela naquela cor que eu detestei e me fez rir quando, desajeitado, me entregou um guarda-chuva quebrado onde dizia assim: ESTOU ENSOPADO DE MAR!

      Mar é quando a gente se inunda, meu anjo. E isso eu aprendi com você.

      Meu beijo. Meu abraço. Sempre meu melhor pra ti.

      Responder
  • 11. Ivan  |  10/12/2009 às 3:34 PM

    êêê lá em casa…

    Responder
    • 12. marjoriebier  |  10/12/2009 às 3:38 PM

      IIIIIhhhhh!!!!

      Conexões tigre pra ti!

      rsrsrsrs

      Responder
      • 13. Ivan  |  10/12/2009 às 5:18 PM

        Ha!

  • 14. rafael Dreweck  |  10/12/2009 às 5:02 PM

    Cette reconnaissance est votre mérite, femme poète de la fibre. Votre travail est fantastique et je l’admire aussi.

    Succès pour toujours.

    Responder
    • 15. marjoriebier  |  10/12/2009 às 5:07 PM

      Merci, mon coeur.

      Vos yeux m’ont beaucoup aidé à faire.

      Responder
  • 16. Eunísia  |  10/12/2009 às 9:58 PM

    Sempre lutaremos pelas causas nobres.
    Bjs.
    Muita Luz em 2010.

    Responder
    • 17. marjoriebier  |  10/12/2009 às 11:05 PM

      Muita luz pra todos nós.

      Um beijo

      Responder
  • 18. Clara Morais  |  10/12/2009 às 11:04 PM

    Isso tudo é reflexo dá pessoa linda e generosa que você é.

    parabéns por 2009, por 2010, 2020,

    Um beijo

    Responder
    • 19. marjoriebier  |  10/12/2009 às 11:06 PM

      Clarinha e sua doçura de sempre.

      Um beijo, amada.

      Responder
  • 20. Talita Prates  |  10/12/2009 às 11:52 PM

    Má,
    tem poema pra vc lá no blog, bonita!🙂
    Bju!

    Responder
    • 21. marjoriebier  |  11/12/2009 às 12:42 AM

      Ai,ai… eu sou feliz demais por ter nesse meu céu poetas tão especiais!!!

      Beijo, Tá!!!

      Morri de achar lindo!

      Responder
  • 22. Rafaela  |  11/12/2009 às 12:09 AM

    orgulho, minha linda!
    só isso!
    e bons auguros de ano novo! e grata por ser, à vida, benvinda!
    só isso, só isso.

    amo e ponto

    Responder
    • 23. marjoriebier  |  11/12/2009 às 12:44 AM

      Rafélis… tinha que citar você, a Talita, a mariana, a Renata e, agora, a Cy… estrelas muito mais que brilhantes nesse céu onde brinco de tatear os astros.

      Um beijo.

      Amo.

      Responder
  • 24. Ricardo Valente  |  11/12/2009 às 12:52 AM

    A gente nota que tu gostas. Eu to estranho(ado), mas não ligo. Vou para 2010, lembrando da MISS BRASIL 2000.
    Não sei se deprê… momento talvez.
    Ponto… final!
    Beijo, minha linda! (e parabéns)

    Responder
    • 25. marjoriebier  |  11/12/2009 às 1:13 AM

      O estranhamento (ou a estrazenha) passa. Anuncia, antes, as grandes mudanças.

      Um beijo grande pra você.

      Responder
  • 26. Paulo Rogério  |  11/12/2009 às 1:43 AM

    Acho maravilhosa a experiência de quem consegue tirar das letras o seu ganha-pão, sem jamais mendigá-lo. Por amor. Por paixão. É bom estar aqui com você!

    Responder
    • 27. marjoriebier  |  11/12/2009 às 1:48 AM

      PR… a estrada é longa e a luta é contínua. A batalha está só começando.

      (feliz sou eu pela sua presença aqui no meu céu)

      Um beijo

      Responder
  • 28. Régis Antônio Coimbra  |  11/12/2009 às 2:33 PM

    Foi uma honra e um prazer ajudar um pouco e atrapalhar só um pouquinho.

    Responder
  • 29. Marevolto  |  11/12/2009 às 9:03 PM

    Marjorie, nem poderia ser de outra maneira esse 2009 para ti. Talento só pode ser traduzido por sucesso. Aguarde que o 2010 será muito melhor, e lá, no dezembro dele, escreverás: “Tive um ano muito bom…” Há, à vista, degraus que te esperam, e não são de igreja, não. Que bom ter te encontrado neste mundo das letras.
    Carinho
    Mário Simon

    Responder
    • 30. marjoriebier  |  12/12/2009 às 6:11 AM

      Mário…

      Aprendi a ler contigo, lá nos tempos de Orbital. Não consegui mais parar.

      A paixão pela palavra é contagiosa, não conheço fórmula para curar.

      Obrigada sempre.

      Carinho igual.

      Responder

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Sigam-me os bons!


%d blogueiros gostam disto: