You will survive ®

26/11/2009 at 12:57 PM 21 comentários

Você está ali, bem bela, sentada diante de um prato de batatas fritas mergulhadas no katchup, quando aquele cara que abalou suas estruturas dá o ar da graça. Você tenta, sem sucesso, disfarçar a ansiedade. Limpa a boca no punho do casaco roxo de veludo cotelê, mas deixa as provas do crime expostas na ponta dos dedos ensopados de óleo de girassol.

Arruma a cadeira, joga as malenas pro lado, dá um up no decote e fica feito uma boba procurando uma frase de efeito para a próxima cena dessa esquete que você não ensaiou. Qual é, mocinha, vai ficar aí, parada feito uma coluna do templo, esperando a chance da sua vida passar?

Sim, eu sei que você fez novena, promessa, acendeu vela pra Santo Antônio, rezou Pai Nosso, trezentas e duas Ave Marias, e agora que a belezura está ali, sentadinha da Silva amém, bem diante do seu nariz, o neurônio direito resolveu travar. Coragem, meu bem. Segura na mão de Deus e vai.

Vai lá e mostra que sobreviveu ao tsunami emocional que foi o fim da história de vocês. Conta pra ele que, apesar da novela mexicana, sua integridade está intacta, seu emprego está bombando e que seus glúteos (ah, bendita hora que você resolveu treinar) estão mais durinhos que a rapadura de açúcar que a madrinha dele te ensinou a fazer. Fale da sua viagem para Tenerife, mostre as unhas que você parou de roer e comente, quase sem querer, sobre a dívida quitada daquele carro que ele te ajudou a escolher.

Esqueça a sua tragédia amorosa, os finais de semana regados a pipoca, chocolate e filmes com a Meg Ryan inchada de tanto chorar. Ele não precisa saber nada sobre o seu inferno astral, sobre aquela calça de moletom horrível que você adotou e o quanto a fotografia de vocês dois apaixonados na Praia do Coco tem te feito sofrer. Os seus exorcismos são só seus, ninguém mais precisa entender.

Volte para a vida, Eurídice. E siga para a mesa depois. Esse boa pinta que está atrapalhando o seu campo de visão não vai abrir mão do copo de chopp para salvá-la das trevas que você mesma escolheu. You will survive sem ele, benzinho. Peça um drinque e pague pra ver.

Entry filed under: Perplexidades. Tags: .

Surdo ® Aventura no Caminho das Missões

21 Comentários Add your own

  • 1. Marininha  |  26/11/2009 às 1:29 PM

    hahahahahahahahaha

    Tu me mata de rir, nega!!!

    (como foi com o Rico?)

    Responder
    • 2. marjoriebier  |  26/11/2009 às 3:08 PM

      Tudo blue, cherrie… Ou… trés bleu…

      Responder
  • 3. Enrico  |  26/11/2009 às 2:57 PM

    Algo tipo: acorda pra vida, mulher!!!

    Eita Marjorie de fé essa!!!

    (Ninha… não sei como foi pra ela, mas pra mim foi incrível revê-la)

    Responder
    • 4. marjoriebier  |  26/11/2009 às 3:08 PM

      A ideia e essa, Rico. Masoquismo tem limite!

      (pra mim também foi!)

      Responder
  • 5. Luana  |  26/11/2009 às 3:17 PM

    PERFEITO, Marjorie!!!

    Como é mesmo aquela frase???

    “Não trate como prioridade quem te trata como opção…”

    Pois, está valendo.

    Responder
    • 6. marjoriebier  |  26/11/2009 às 4:36 PM

      Ai, Lu… acho complicado… o que é prioridade pra um talvez não seja pro outro… para alguns as opções são melhores… não gosto muito dessa frase.

      beijo

      Responder
  • 7. Clara Morais  |  26/11/2009 às 4:04 PM

    OOO, mania difícil essa da mulherada, né?!

    Eu, tu, nós e a equipe de nado sincronizado já passou por isso. E a gente aprende? Quiçá um dia que sim!

    Abraço

    Responder
    • 8. marjoriebier  |  26/11/2009 às 4:36 PM

      hahahahahahahahahaha

      O nado sincronizado aí matou a pau!!!! Tu é uma lata, guria!

      Responder
  • 9. Fábio Zen  |  26/11/2009 às 4:17 PM

    Manual prático/Aprenda a se comportar com dignidade e altivez em situações embaraço-nostálgica-gastronômica!
    Vol. 1
    Por Marjorie Bier

    Responder
    • 10. marjoriebier  |  26/11/2009 às 4:37 PM

      Fábio

      Auto-ajuda para mulheres histéricas!!!

      rsrsrsrsrs…

      beijo

      Responder
  • 11. Rafael Dreweck  |  26/11/2009 às 6:35 PM

    Pô, Mar… mulher ainda sofre com quem não merece?

    Responder
    • 12. marjoriebier  |  26/11/2009 às 7:24 PM

      (????)

      Daqui até a eternidade!!!!

      Responder
  • 13. Miss  |  26/11/2009 às 8:35 PM

    Hahahaha! We will survive!😉

    Preciso dizer que adorei? Acho que não, né?😉

    Ps. já estou pesquisando as bikes, heim?

    Beijocas, flor!

    Responder
    • 14. marjoriebier  |  26/11/2009 às 9:44 PM

      Tá fazendo bom negócio, flor!!!

      rsrsrsrs

      Responder
  • 15. Ivan  |  26/11/2009 às 9:10 PM

    É possível que o cara vá até ela e pergunte se ela pode emprestar “dez real”.
    :-/

    Ivan.

    Responder
    • 16. marjoriebier  |  26/11/2009 às 9:45 PM

      BEM PROVÁVEL MESMOOOO!!!

      bj

      Responder
  • 17. Rafaela  |  26/11/2009 às 11:18 PM

    hahahahahah
    palhaça mesmo _e tenho dito!!! u_u

    mas isso aí: pedir o drinque é uma boa metáfora (ou não tb rs)!
    adooooro!!!

    besobeso

    Responder
    • 18. marjoriebier  |  26/11/2009 às 11:31 PM

      Rafeééééliiisss!!!!

      Que bom te ver aqui, wonder girl cibernética!!!!

      beijooo

      Responder
  • 19. felipedamo  |  27/11/2009 às 12:29 AM

    I’ll survive invariavelmente me lembra a performance de Tony Clifton

    Responder
    • 20. marjoriebier  |  27/11/2009 às 12:37 AM

      hahahahaha

      Já é um olhar, Damo boy!!!

      Responder
  • 21. Régis Antônio Coimbra  |  27/11/2009 às 5:19 PM

    Algumas ex-namoradas manifestaram maior afeto e admiração depois de se tornarem “ex” do que durante, hehe. Acho que ex-namorados (e talvez ex-namoradas) são um pouco como falecidos, para algumas pessoas: pessoas das quais lembramos das qualidades e esquecemos os defeitos.

    Não me importo de dizer o quanto sofri com a separação, ou o quanto a outra pessoa me fez bem e sua falta me fez mal. Só não sei se isso não atrapalha ainda mais, isso é, não sei se para a maioria das mulheres não é melhor acreditar que eu era mesmo feio, bobo e malvado e que, apesar dos sofrimentos da separação, foi melhor se afastarem de mim – o que, aliás, geralmente é verdade.

    Mesmo que tenha sido bom por um tempo, os relacionamentos romântico-sexuais geralmente não são bons para sempre, isso é, para o resto da vida. Um relacionamento pode ser um sucesso e ainda assim ser melhor terminar,

    Como Chico Buarque diz na canção “Pedaço de mim”, a saudade é como a dor no membro amputado (membro ou dor “fantasma”). Mas a alternativa de não fazer a tal “amputação” seria provavelmente pior… E temos muitos membros alegóricos para perder ao longo de uma vida. Eles não voltam a crescer, deixam dores fantasmas e tal… mas vale a pena os comprometer e depois, se necessário (quase sempre, mais cedo ou mais tarde) os perder.

    Responder

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Sigam-me os bons!


%d blogueiros gostam disto: