United Colors

20/11/2009 at 12:36 PM 16 comentários

Dica de leitura:

CASA GRANDE & SENZALA

É o primeiro livro de Gilberto Freyre. Publicado em primeira edição no Rio de janeiro, em dezembro de 1933, teve enorme repercussão junto ao público. Abordagens inovadoras de vida familiar, dos costumes públicos e privados, das mentalidades e das inter-relações étnicas revelam um painel envolvente e deliciosamente instigante da formação brasileira no período colonial. Da arquitetura real e imaginária da casa-grande e dos fluxos e refluxos do cotidiano da família patriarcal, emergiram traços da convivência feita de intimidade e dominação entre senhores e escravos e entre brancos, pretos e índios que marcaram para sempre a sociedade brasileira.

.

Setenta e seis  anos e muitas edições depois, Casa-Grande & Senzala continua repercutindo. Menos por sua consagração como uma das obras fundamentais do pensamento brasileiro e mais porque o livro, como queira o autor, mantém-se vivo e contemporâneo. Porque continua a seduzir os leitores. E a desafiá-los a uma jornada desbravadora pelas veredas da história nacional.

Entry filed under: Carpintaria..., Gente é pra brilhar!. Tags: .

Chá das cinco ® O mundo anda tão complicado

16 Comentários Add your own

  • 1. Marcelo Cruz  |  20/11/2009 às 12:47 PM

    Sempre deliciosamente antenada!

    Responder
  • 2. Marininha  |  20/11/2009 às 1:00 PM

    Maaaarrrr!!!

    Essa p*&%$ não tá postando comentário!!!

    Responder
    • 3. marjoriebier  |  20/11/2009 às 1:33 PM

      ???

      Deve haver algum problema entre a cadeira e o computador…

      Responder
  • 4. Marcelo Cruz  |  20/11/2009 às 1:06 PM

    Cara… eu também não tô conseguindo.

    Teste! teste!

    Responder
    • 5. marjoriebier  |  20/11/2009 às 1:33 PM

      O mesmo problema… rsrsrs…

      Câmbio!

      Responder
  • 6. Luana  |  20/11/2009 às 1:55 PM

    Boa dica, Marjorie.

    Leitura obrigatória entre os pensadores de plantão.

    Responder
    • 7. marjoriebier  |  20/11/2009 às 3:12 PM

      Lulu sabe das coisas!

      Responder
  • 8. Rafaela  |  20/11/2009 às 3:09 PM

    hahahahah figura!

    caraaa, sabe q eu peguei ontem nesse livro, arrumando lá a sala de leitura, no colégio!
    já me indicaram tb! mas a espessura me desanimou… hahaha

    besooo

    Responder
    • 9. marjoriebier  |  20/11/2009 às 3:13 PM

      Rafélis… a primeira impressão assusta (assim como muita gente), mas a leitura é deliciosa e necessária!!!

      Beijo

      Responder
  • 10. Enrico  |  20/11/2009 às 6:08 PM

    Eu sei que tu tem. Empresta?

    Responder
    • 11. marjoriebier  |  20/11/2009 às 6:14 PM

      QUEM QUER EMPRESTADO BOTA O DEDO AQUI!!!

      rsrsrsrs

      Sure, baby… come get!

      Responder
  • 12. Ricardo Valente  |  20/11/2009 às 9:25 PM

    hãhã
    smack

    Responder
    • 13. marjoriebier  |  23/11/2009 às 11:38 AM

      =*

      Amado…

      Responder
  • 14. Gian Fabra  |  21/11/2009 às 2:10 AM

    Nossa… Eu li isso por obrigação na época da escola, parecia uma novela das 6 rsrsrs
    mas acredito q seja um bom livro, gostei de quase tudo q reli depois q me livrei da obrigação.

    sob o chá das 5… Calma Joana, se vc escapar da fogueira tb vai chegar lá😉

    bjk

    Responder
    • 15. marjoriebier  |  21/11/2009 às 7:26 AM

      Me dá o endereço que eu, certamente, chego lá!

      rsrsrsrrsrsrs

      Responder
  • 16. Régis Antônio Coimbra  |  26/11/2009 às 10:00 AM

    A união das cores, pelo princípio da subtração (mistura de tintas), dá, na prática, num marrom sem graça. Idealmente, dá na perfeita ausência de cores, num negro profundo. Pelo princípio da adição (sobreposição de focos de holofotes) dá numa luz branca.

    Ah… no contexto social e cultural, nossa sociedade optou – sem perceber – pela fusão. Gilberto Freire provavelmente só percebeu isso após viver nos EUA que, no máximo, convivem com a diversidade, mas com fronteiras bem definidas, como satirizado num episódio de South Park sobre a bandeira da cidadezinha lá estilizada.

    Estragando um pouco a experiência de quem nunca viu o episódio, sugiro ver as imagens do antes e do depois do debate dramatizado no episódio, sobre a necessidade de se modificar a bandeira da cidade:

    http://www.1uptravel.com/flag/flags/fic_sprk.html

    Responder

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Sigam-me os bons!


%d blogueiros gostam disto: