Eu vejo flores em você ®

04/09/2009 at 1:12 PM 18 comentários

Levantei com a pontualidade das flores. Estridentes, chegaram acordando a mim e ao restante da casa às sete e meia da manhã. Depois de uma semana estranha, o dia nasce animado pela alegria das pétalas.

O entregador, habituado com as caras atônitas, perguntou se era aniversário. Comentei que a data ainda tardaria a chegar. “Namorado?” Também não. O ex, inclusive, não era dado a esse tipo de manifestações coloridas. Achava sempre tudo muito barulhento, agressivo. Tinha medo de assustar o amor antes mesmo dele ter chegado.

No cartão, uma feliz menção aos jardins de Cecília, o desejo de um dia bom e só. Fico aqui imaginando que pessoa é essa que se dispõe a fazer um outro sorrir numa manhã cinzenta e se mantém anônima diante de tão bonita ação.

Como a música, procuro evitar comparações entre flores e declarações. Deduzo, apenas, que seja alguém que saiba um pouco de mim. Acertou na escolha das flores, na embalagem rústica, no poema leve e no endereço de casa. No mais, nenhuma digital.

Eu sigo aqui, entre a manhã agitada e a surpresa da incógnita, exercitando meu lado Sherlock Holmes, buscando vestígios entre pensamentos e lugares, para que em algum momento esse estranho se manifeste.

Mande sinais de fumaça, meu caro. Um telegrama, um e-mail, um torpedo, se preferir. Mas apareça. Guardo aqui um abraço apertado e um sorriso aberto para depois.

Entry filed under: Perplexidades. Tags: .

Como virar sapo em apenas uma lição ® Ébrios ditos de Piedad e Carmensita ®

18 Comentários Add your own

  • 1. Marininha  |  04/09/2009 às 1:13 PM

    hahahahahahahahahaha!!!!

    Foi o cara do texto de ontem!!!

    Responder
  • 2. Enrico  |  04/09/2009 às 1:30 PM

    Foi o cara do texto de ontem!!!²

    Ai te desmonta, alemoa!!!!

    ahuahuahuahuahuahu

    Responder
  • 3. Rafaela  |  04/09/2009 às 1:35 PM

    hahaha adorei a suposição!
    o/ [3]

    *ontem tb levei flor – como comentei.
    e fui recebida com portada na testa e na mão. [acidentes de percurso haha] to aqui botando gelo: os sintomas chegaram hj: inchaço e dor… =(

    aiai…
    beso!
    dia florido =)

    Responder
  • 4. marjoriebier  |  04/09/2009 às 1:40 PM

    o.O

    Baaaahhh!!! Precisaria rever meus conceitos (e engolir o texto a seco). rsrsrsrs…

    Vou descobrir quem foi e depois conto pra vcs!

    Responder
  • 5. Clara Morais  |  04/09/2009 às 2:27 PM

    Depois da total falta de jeito narrada ontem, segue a delicadeza brutal hoje. Um jeito bom de fechar a semana e curtir o feriadão.

    E que essa pessoa apareça porque eu quero saber o final da história! LOL!

    Responder
  • 6. Rafael Dreweck  |  04/09/2009 às 3:36 PM

    Nada como um dia depois do outro… o coração deve estar sorrindo e a cabeça, se bem conheço, com milhões de coisas ao mesmo tempo!

    Aproveite o momento (e me conte depois que descobrir, quem foi o autor de tão engenhoso e certeiro agrado).

    Responder
  • 7. Fabio Basso  |  04/09/2009 às 3:39 PM

    não sabemos nada da vida mesmo…

    Responder
  • 8. Edith Janete Schaefer  |  04/09/2009 às 3:40 PM

    Noooossa!!! Que ótimo!!!
    Quem enviou teve uma maravilhosa idéia!
    Ontem ganhei um desenho de teu pai: um homem dando uma flor para a amada…hehe
    Jeito dele de me dar flores.
    Mas se descobrires quem foi este ser tão criativo e surpreendente, conta pra gente!!!

    Responder
  • 9. marjoriebier  |  04/09/2009 às 3:45 PM

    A LUTA CONTINUA, COMPANHEIROS!!!!

    rsrsrs…

    Responder
  • 10. Régis Antônio Coimbra  |  04/09/2009 às 4:12 PM

    Quisera ter sido eu a ter a idéia ou iniciativa. Mas não fui, dificilmente seria. Tenho uma patológica inibição para dar flores. Tenho até uma série de racionalizações… por exemplo: é muito grosseiro enviar para uma mulher órgãos genitais de fanerógamas, isso é, de plantas com o sexo (“-gamas”) explícito (faneró-).

    Gosto de radicalizar a teoria segundo a qual “o que vale é a intenção”. Essa, aliás, é a principal razão de se dar órgãos sexuais de plantas de sexo explícito, embora, claro, não se refira necessariamente a sexo – notadamente quando se envia uma coroa de flores para uma viúva coroa, o que NÃO deve ser interpretado como uma promessa de orgias intermináveis agora que o caminho está livre.

    Seja como for, um presente inusitado e de origem vegetal que costumo dar são rolhas e, não, isso também não deve ser interpretado com conotação sexual (repressiva?) ou algo assim. É só algo material e prático de carregar que certa ocasião testei dar de presente para alguém e pareceu-me funcionar muito bem, pois minhas intenções eram as melhores possíveis, a pessoa entendeu e gostou muito… digamos que do presente, hehe.

    Aliás, esse é um dos problemas dos problemas tradicionais. Gostamos da iniciativa da pessoa que nos dá o presente, do que isso representa em termos de “bah… ela se puxou…” etc… Mas hoje “temos tudo”. Dificilmente alguém comprará um par de meias, um cachimbo (nem fumo), um lenço (uso papel toalha) etc. Então costumo combinar que presente quero receber… Mas aí vira uma coisa engraçada… algo como não só passar a conta de uma compra como o trabalho de ir (e outro dia) na loja e comprar, hehe… Prefiro receber, muito carinhosamente, uma rolha – desde que não seja uma crítica à minha prolixidade, hehe…

    Responder
  • 11. Régis Antônio Coimbra  |  04/09/2009 às 4:15 PM

    Epa… de boas intenções as erratas estão cheias. Onde escrevi “problemas dos problemas tradicionais” era para ser “problemas dos presentes tradicionais”.

    Responder
  • 12. marjoriebier  |  04/09/2009 às 4:18 PM

    rsrsrsrs… a ideia da rolha é fantástica. Tb teria me surpreendido!

    Sou adepta às boas intenções (embora o mundo esteja cheio delas, e tanto céu qto inferno estejam com lotação esgotada) e o esforço desse ser que não imagino quem seja, vale mais do que os órgãos genitais de fanerógamas.

    A coroa para a coroa é, no mínimo, enternecedor! rsrsrsrs…

    Responder
  • 13. Renata  |  05/09/2009 às 4:11 AM

    Texto maravilhoso…
    E fala pra mim que é verdade!!! : )

    Beijo,
    doce de lira

    Responder
  • 14. marjoriebier  |  05/09/2009 às 9:26 AM

    É verdade, Re!

    E eu encontrei o moçoilo!

    eeeeeeeeeeeeeeee1111

    Responder
  • 15. Renata  |  07/09/2009 às 3:54 AM

    Quero saber do desenrolar da história! : )

    Responder
  • 16. marjoriebier  |  07/09/2009 às 4:03 AM

    rsrsrsrsrsrs… uma história bonitinha… em breve vou escrever sobre isso. Aguarde cenas dos próximos capítulos. rsrsrs

    besos

    Responder
  • 17. Bier  |  07/09/2009 às 4:20 PM

    Espero que o autor sobreviva ao agradecimento…

    Responder
  • 18. marjoriebier  |  07/09/2009 às 4:25 PM

    Se não aguenta, pq mandar flores???

    hahahahahahaha

    Responder

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Sigam-me os bons!


%d blogueiros gostam disto: