Como virar sapo em apenas uma lição ®

03/09/2009 at 1:52 PM 22 comentários

Você está na festa, animada. A bebida está gelada, a banda tocando róquenrou de primeira e nenhum amigo seu está precisando de socorro no banheiro. Sua roupa parece ter saído das páginas da melhor revista de moda e os cabelos foram cuidadosamente escovados para um comercial de shampoo.

No balcão, três elegantes rapazes conversam discretamente e observam o movimento  local. O de vermelho passa o olho em você. Olhos claros, cabelos propositalmente desalinhados e barba por fazer. Deve ter viajado, lido os melhores livros, estudado em escolas renomadas e, obviamente, fala seis idiomas que você nunca ouviu falar.

Você devolve o olhar. Jamais perderia a chance de se aproximar desse partidão. Desfilar com a versão made in Brazil do Brad Pitt seria, no mínimo, avassalador. Sem falar nos jantares de família, nos almoços de domingo, nas festas de final de ano em que você e ele monopolizariam as atenções e causariam os melhores comentários até a próxima quinta geração.

Ele sorri. Dentes brancos e hálito puro. Digno de fotografia para creme dental. Beijar aquela boca deve ser como saborear hortelã. O delicioso frescor da manhã passeando pelos seus lábios depois de uma noite incrivelmente romântica em alguma ilha do Havaí. Acorda, ele está vindo!

Discretamente, você se põe a dançar. Vai movimentando a cintura, jogando o corpo para perto do moçoilo e quando vê, a mão nas costas. “Que surpresa! Você por aqui?” A conversa flui normalmente durante os primeiros trinta segundos, até que ele resolve arriscar:

– Você malha?

Leandra Borges se instala: “hã?!”. Claro que você malha. E além de malhar você estuda, trabalha, viaja, ajuda em casa e faz trabalho voluntário. “Por quê?”

– Para saber se você é mesmo gostosa.

Sim, você é gostosa. Gostosa de conversar, de passear, de cheirar e de pegar também. Afinal, você malha. “E você, estuda?”

– Não. Fui embora e parei faz tempo. Por quê?

– Nada não. Só queria saber se você tinha cérebro.

Entry filed under: Perplexidades. Tags: .

Um belo estranho dia ® Eu vejo flores em você ®

22 Comentários Add your own

  • 1. Eugenio Grigolon  |  03/09/2009 às 1:54 PM

    Me deixei levar pelo texto muito forte hoje! Boas imagens para uma quita-feira de manhã.

    Perfect!

    Responder
  • 2. Guilherme Maron  |  03/09/2009 às 2:07 PM

    Pedreragem é especialidade da casa …

    E o pior foi imaginar a cena exatamente aonde ela ocorreu …

    Responder
  • 3. Fabio Basso  |  03/09/2009 às 2:46 PM

    humm…vou te provocar… vc já escreveu melhores textos…

    Responder
  • 4. marjoriebier  |  03/09/2009 às 3:07 PM

    rsrsrsrs… eu tb acho, Fábio! Mas tb acho q tu jamais daria essa cantada nada inteligente!!!

    Responder
  • 5. Marininha  |  03/09/2009 às 3:09 PM

    hahahaha… Isso aconteceu contigo, alemoa?

    Responder
  • 6. marjoriebier  |  03/09/2009 às 3:26 PM

    Baseado em fatos reais… infelizmente.

    Responder
  • 7. Clara Morais  |  03/09/2009 às 3:29 PM

    Nossa! Tem que desmoralizar mesmo! Homem grosso é o fim!

    Responder
  • 8. Talita Prates  |  03/09/2009 às 3:39 PM

    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, poio!
    Tanta embalagem é pra esconder o vale-nada do conteúdo! hehehe.
    Engraçadíssimo (apesar de trágico), Marjorie!
    Bju!

    Responder
  • 9. Enrico  |  03/09/2009 às 3:50 PM

    Marjorie Bier… sempre transformando fatos ridículos em comédias históricas!

    Responder
  • 10. marjoriebier  |  03/09/2009 às 3:56 PM

    Talita… na hora não teve nada de engraçado. Depois que passa, a gente ri. rsrsrsrs

    Responder
  • 11. Régis Antônio Coimbra  |  03/09/2009 às 4:06 PM

    Não existe mulher gostosa, existe mulher que eu, outro ou outra acha gostosa. Se muitos acham uma mulher gostosa ela tende a virar nojenta, embora isso seja mais provável se ela for insegura e usar a unanimidade como arma – contra si, principalmente.

    Achar uma mulher gostosa geralmente significa achá-la atraente, sexualmente atraente. Outro sentido, menos comum, é relativo a ter provado e gostado alguma vez.

    Mas uma mulher que achei gostosa alguma vez é ou foi gostosa para mim? A tendência a denegar a fragilidade, a transitoriedade humana nos leva a dizer coisas como Fulano/Fulana é isso e aquilo quando o mais sensato ou exato seria dizer está/esteve.

    Já fui gostoso para algumas e pareci gostoso para alguns. Ou foram muito gentis e convicentes comigo.

    Inteligente? Bem mais complicado, por incrível que pareça.

    Muita gente que me considera inteligente eu considero burra. Isso conta para reforçar minha convicção (confesso) de que sou inteligente?

    Se bem que algumas pessoas que eu considero inteligentes são consideradas burras. É que algumas pessoas têm o pensamento rápido e certeiro numas áreas ou harmonicamente… mas outras têm, ainda que lentas e algo atrapalhadas, perseverança para, com o pouco que têm, alcançar grandes resultados.

    Há também os inteligentes com caras bobonas. Por vezes um cabelo, óculos ou cacoete nos dão uma primeira e dificilmente superável impressão de tolice a respeito de uma pessoa. Aliás, muito a propósito do que comentaste, um comentário infeliz dá uma impressão relativamente primeira e absolutamente difícil de superar.

    Uma pessoa que já conhecemos e que mesmo consideramos amiga ou admirável volta e meia decepciona. A gostosa não está a fim, não se dá conta e acaba reclamando ou mesmo secando. A inteligente insiste que homeopatia funcionou com a cachorra da mãe dela (sem polissemia). A bonita, gostosa e inteligente tenta usar seu próprio desejo como favor que lhe garanta créditos (primeiro erro) que ela tenta usar para fazer manha (segundo erro).

    O difícil é ser franco e amigo mesmo de quem ainda não somos amigo. Há sapos, cavalos, vacas, sangue-sugas e outros tipos de seres humanos mais ou menos demasiado humanos, mas prefiro dar uma larga margem de tolerância antes de rebaixar alguém da condição de interlocutor para a de humano de estimação ou nem isso (cavalo, vaca, sangue-suga).

    Paradoxalmente, no entanto, só chamo, quando muito, de cavalo, vaca ou sangue-suga etc quem ainda não deixei completamente de estimar como um “igual” (a mim). Pois só faz sentido chamar (reclamar) “sua vaca!” se tenho ainda alguma esperança de que a referida se dê conta do erro, abuso etc. Sem tal esperança, seria mera incontinência verbal, agressão vil – ou, vá lá… retorsão imediata.

    Responder
  • 12. marjoriebier  |  03/09/2009 às 4:14 PM

    Bom… ele poderia ter perguntado se eu gosto de Camus, se eu já ouvi Café Tacuba tocando a música do Leo Dan ou, simplesmente, se eu gosto das manhãs de sol. “Por quê?” Pra saber se eu sou gostosa, ora!

    Ele errou no ponto. E feio. A verborragia é consciente.

    Responder
  • 13. Rafael Dreweck  |  03/09/2009 às 5:30 PM

    Nunca vi homem tão gentil. A Marjorie deve ter adorado! rsrsrs

    Responder
  • 14. Rafaela  |  03/09/2009 às 5:52 PM

    depois de reler o diálogo um zilhão de vezes, entendi! :S
    ai, q medo! será q me falta cérebro tb?? hahahahaha
    *é q vc me confundiu osneurôniotudo, inserindo fala sua/ fala dele/ fala de escritora… ai! rsrs

    comédias da vida privada!!

    beijobeijo

    Responder
  • 15. marjoriebier  |  03/09/2009 às 6:09 PM

    Rafa… a loira sou eu… hahahahahaha

    Responder
  • 16. Fabio Basso  |  03/09/2009 às 6:48 PM

    Marjorie, no passado já fui mto tímido…. não sabia nem o que dizer perto de uma moça simpática…. mas realmente nunca pensei em algo parecido com isso…além de “abestado” o cara foi no mínimo mal-educado e grosso… ora, conheci minha primeira namorada lendo um livro num bar no centro da cidade…num sábado à tardinha… e olha que nunca fui muito “saradão”… apesar de usar creme dental dos bons, rsrsrs… não acho que ela tenha me achado muito gatinho não… algo mais fez com que ela se atraisse por mim… a beleza não está na malhação, no corpo sarado… John Lennon morreu… Michael Jackson morreu… Lady Di morreu… diferentes na vida, mas todos iguais hoje… então….mas repito, nunca pensei numa abordagem dessas, hehe.

    Responder
  • 17. marjoriebier  |  03/09/2009 às 6:55 PM

    Até Nietzsche morreu! rsrsrs… é isso aí, Fábio… sempre preferi os que têm conteúdo aos que deixam tudo à mostra na vitrine (já disse isso hoje).

    =}

    Responder
  • 18. Marcelo Cruz  |  03/09/2009 às 8:16 PM

    Um pouco errado o rapaz, mas ele tentou. Errado, mas tentou. Divertidíssimo!

    Responder
  • 19. Marininha  |  03/09/2009 às 8:38 PM

    ahuahuahuahuahuahuahuahuahuahu!!! Mas que cara fora do mundo!!! Errou a trova, errou a hora e errou a pessoa!!! Baita azar do maluco!!!

    Responder
  • 20. Diemer  |  03/09/2009 às 11:15 PM

    Oi Marjorie! Ótimo texto, ótimo blog, ótimas leituras!!! parabéns!! valeu por ter me “achado” e comentado no meu “bloguinho”! heheh…Abração do Diemer

    Responder
  • 21. Edith Janete Schaefer  |  04/09/2009 às 1:15 PM

    hehehe…
    Ontem estávamos eu, teu pai, e Vivian (minha irmã) lendo teu post. Rimos muito e concordamos em um ponto: basta uma pergunta, uma frase para esculhambar com o cara…
    Um dia estava em um bar e um amigo do Régis (daí de cima) começou a falar em algo sobre religião, acho que sobre algum templo positivista…etc…e se mostrou entusiasmado, muuuito entusiasmado. Até então eu considerava o cara inteligente, mas minha cara expressou claramente minha decepção (me disseram depois). O sorriso de admiração esvaeceu e olhei pra ele com a cara de nãocreio/idiota/dã!
    Te digo, NUNCA mais, nada do que o cara disse, mereceu minha atenção. Complicado.

    Responder
  • 22. marjoriebier  |  04/09/2009 às 1:25 PM

    EEEEEEE!!!!! ALGUÉM ME ENTENDE!!!!

    hahahahahahahaha

    Responder

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Sigam-me os bons!


%d blogueiros gostam disto: