Haja Lexotan! ®

21/08/2009 at 8:50 AM 16 comentários

Num final de tarde desses, encontrei um amigo bebericando com alguns colegas  de trabalho. Fui convidada a me agregar ao grupo para jogar conversa fora e exorcizar um pouco a vida. Falávamos sobre coisas corriqueiras como dinheiro, futebol, caos mundial e profissão. Eu, publicitária, contava que havia encontrado na musculação uma válvula de escape pro stress. Ele – breve currículo: médico-tri-bem-resolvido-recém-saído-de-uma-especialização-foda – pensava em fazer aulas de pintura para canalizar a tensão. “Veado!”  Como é que é?

Meu piloto automático foi acionado na hora. Dei uns três sermões, em latim, e ainda fiz a mesa dizer amém. Aposto que em algum momento da vida, todos aqueles barbados já se orgulharam das suas garatujas, encheram as unhas de massinha de modelar e voltaram pra casa com as mãos meladas pela deliciosa paleta de cores da Faber Castel. As mães exibiram as pinturas para amigos e parentes, e os neo Kandinsky viram suas obras expostas até na geladeira da tia-avó. Mesmo assim, continuam soltos na rua, falando merda e  com a virilidade intacta. Haja lexotan!

Ao contrário do que pensam alguns trogloditas, terapias alternativas não são sinônimo de veadagem, não, “mermão”.  Ocupar a mente com coisas saudáveis, canalizar a energia que está ali, parada, entupindo artérias e causando enfartos, não torna Zidane gay. Nem todos nascem com aquela ginga malandra e o reboladinho duvidoso perfeito para os dribles no futebol. Tem gente que nasce com jogo de cintura pra vida e sabe muito bem que suas escolhas nada tem a ver com a variada catalogação sexual que existe hoje no planeta.

Preconceito é crime, baby. Com pena prevista em lei.  De ideias furadas o país está cheio, você escolhe se quer ser um boçal ou uma cabeça pensante nessa multidão.

Entry filed under: Perplexidades. Tags: .

Poeminha indecente ® Porque hoje é domingo…

16 Comentários Add your own

  • 1. Rafaela  |  21/08/2009 às 12:16 PM

    hahahaha
    gente, adooooro isso!
    e viva os quase metrossexuais, então! rs

    *rá! a primeira a comentar! \o/

    Responder
  • 2. marjoriebier  |  21/08/2009 às 12:38 PM

    A Rafa É ninja!

    Responder
  • 3. Marininha  |  21/08/2009 às 1:19 PM

    Sim, fiquei sabendo… chegou em casa e me contou. Lamentável!

    Responder
  • 4. Enrico  |  21/08/2009 às 1:43 PM

    Por isso eu gosto dessa mulher! Ela é faca na bota e não aceita injustiça por aí! Um case!

    Responder
  • 5. Rafaela  |  21/08/2009 às 3:19 PM

    hahahahahaha
    por incrível q pareça, já me disseram isso! ^^

    Responder
  • 6. Renata  |  21/08/2009 às 3:51 PM

    Nem vai acreditar, Marjorie!
    Pretendo escrever, na conclusão de minha pós em Direito Público, uma monografia que aborde exatamente o conflito: homossexualismo X liberdade de crença. Você afirmou: “homofobia é crime”. Mas, juridicamente, o que se pode considerar homofobia?

    Não quero aqui adiantar o meu raciocínio, até porque comecei, agora, a fazer leituras mais aprofundadas sobre o tema. Pode ser que, durante o trabalho, eu modifique o meu entendimento inicial. Em linhas gerais, apenas registro uma preocupação pessoal com os “exageros”. Chegou-se a uma situação tal que todo comentário sobre a homossexualidade soa reprovável. Como ficariam, assim, a ciência e as religiões? Completamente atadas?

    O assunto é vasto, complexo e multidisciplinar. Além do Direito, lerei um pouco sobre Psicologia, Sociologia e Teologia. Uma questão é, contudo, indiscutível desde já: todo ser humano deve ter respeitada sua dignidade.

    Espero ter contribuído para o seu texto, como me pediu lá no doce de lira. Um beijão.

    Responder
  • 7. marjoriebier  |  21/08/2009 às 3:55 PM

    Renata… concordo em gênero, grau e número contigo. A fúria veio pela esteriotipagem. Pré-conceito me enfurece!

    Obrigada pela assessoria (quero ler tua tese depois).

    Responder
  • 8. Talita Prates  |  21/08/2009 às 4:06 PM

    Ótimos texto e argumentos!
    Bj.

    Responder
  • 9. Fábio Zen  |  21/08/2009 às 6:38 PM

    Como diria o Pepeu “Se Deus é menina e menino/sou masculino e feminino”.Já tive amigo gay,amigo mesmo de fazer festa junto,mas sempre houve respeito de ambas as partes,sempre ficou bem claro a opção dele e eu respeitei.Uma baita pessoa que até hoje me correspondo pelo Orkut!

    Responder
  • 10. Mariana Cadore  |  21/08/2009 às 11:07 PM

    Que sejamos todos felizes, cada um com sua opcao. Somos todos diferentes e iguais.Garanto q quem ta muito preocupado com o tema ‘e porque nao consegue se assumir.
    Bjs

    Responder
  • 11. Edith Janete Schaefer  |  22/08/2009 às 4:01 PM

    Nooossa, acabei de escrever um texto para uma disciplina do mestrado, intitulada: “Corpos masculinos:peludos ou pelados?” Falo sobre homoerotismo (que é a nova palavrinha mais chic, da velha homossexualismo), sexualidade e gênero… Vale a pena conferir o blog de onde tirei toda inspiração: http://www.sitiopeludo.blogspot.com

    Agora cá pra nós…hehe… Que mestrado esse meu,hein??

    Responder
  • 12. Ricardo Valente  |  22/08/2009 às 5:17 PM

    Cultura. Somos herança dos nossos pais, influenciados pelo meio. Muito bom teu post. Bem escrito. Gostei bastante!
    (agora posso pintar meus quadros sossegado)
    kkkk
    Abração!

    Responder
  • 13. Régis Antônio Coimbra  |  28/08/2009 às 2:18 PM

    Homofobia não chega a ser crime, ainda, mas piada de (contra) argentino, sim, conforme a resultante da lei lei 7716/89 com a nova redação determinada pela “lei Paim” (pois proposta pelo dep. Paulo Paim, do PT cá do RS), lei 9.459/97:

    Art. 1º Serão punidos, na forma desta Lei, os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.

    Art. 20. Praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.

    Tinha um projeto de lei que alterava essa mesma lei aí de 89 agregando preconceito contra a cultura que não vingou e acho que tem outro para incluir a homofobia… mas acho que não foi nem recusado nem aceito. Está no limbo legislativo dos projetos não votados.

    Em tempo, conto piada de (contra) argentino, português, gaúcho (muitas delas homofóbicas, aliás…), alemão, alemão da colônia (Bier e Edith – que também contam – que me desculpem), gringo (italiano da colônia) etc.

    Só não aceito piada de (contra) negros, porque quem conta piadas racistas, na minha opinião, liberta o Mandela pela boca… o que ofende a minha negrisse, digo, negritude – sou descendente de alemães e portugueses safados com índias e negras “oprimidas”, para não usar uma “f word” (termo de baixo calão).

    Não quero fazer fofoca, mas o marido do orientador de Edith conta piadas de gay – a piada da bichinha isso, a piada da bichinha aquilo… O meu lado lésbica, loura e encalhada (que eu uso para denegar meu lado gay) ficava ofendida, mas eu ria muito.

    Responder
  • 14. marjoriebier  |  28/08/2009 às 2:25 PM

    Pois e não é que eu dei um baita furo mesmo??? Eu estava falando em preconceito e joguei a homofobia lá (uma coisa não exclui a outra), mas tu tens razão. Ajuste feito…

    E que fique claro… tb solto minhas piadinhas e tb rio muito… o que eu não acho legal é gente em público querendo se fazer de macho e pra isso ter q usar esse tipo de subterfúgio bizarro.

    Responder
  • 15. Pepe  |  01/09/2009 às 10:38 AM

    Genial!! De portugal com muita admiração!!!

    Responder
  • 16. marjoriebier  |  01/09/2009 às 4:16 PM

    saudade, Pepe!

    Responder

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Sigam-me os bons!


%d blogueiros gostam disto: