Recital ®

16/05/2009 at 2:26 PM 1 comentário

Acordou gelado
meu vaso de barro
pintado
por um índio
que eu não vi.

Nem ele,
nem ninguém
acreditou
na manhã fria
que estava
escondida
dentro de mim…

a cadeira não.
Ela estava ali,
muda,
atônita,
observando

o  passarinho
que recitava
Quintana
no parapeito
do meu jardim.

Anúncios

Entry filed under: Perplexidades.

Do verbo ® Voando ®

1 Comentário Add your own

  • 1. Enrico  |  16/05/2009 às 3:04 PM

    BRAVO!

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Sigam-me os bons!


%d blogueiros gostam disto: