Lamento para uma Senhorinha ®

23/04/2009 at 6:42 PM 3 comentários

Ai de mim, senhorinha,
que aqui choro os meus prantos
Teus versos, cativos mantos,
Acarinham minhas ervas daninhas

De ti, fonte de onde sorvo claridade,
brotam meus altivos cantos
Para que caia a escura flor (despetalada)
E faça-se terra dessa saudade

Entry filed under: Perplexidades. Tags: .

Retrato musical ® Um poema para amanhã ®

3 Comentários Add your own

  • 1. felipedamo  |  23/04/2009 às 10:39 PM

    fabuloso…

    lembrou os versos do Bento Nascimento que eram mais ou menos assim:

    “as ervas não foram daninhas
    nem os amores prefeitos”

    bom, se não eram eu estuprei o poema…foda…rs

    Responder
  • 2. Farlei- O que ouve Wando haha  |  24/04/2009 às 1:10 AM

    Poxa, esse foi profundo querida…
    bom, que não venha a crescer flores escuras, somente belas flores no teu jardim linda ! fique bem !

    Responder
  • 3. Régis Antônio Coimbra  |  26/10/2009 às 6:26 AM

    Como erva daninha
    nosso amor floresce
    (ou “arbustece”, ou teima)
    ainda que imperfeito

    Em meio ao lixo tóxico
    fogo e enxofre, radio-
    atividade ou nenhuma

    Responder

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Sigam-me os bons!


%d blogueiros gostam disto: